domingo, 28 de janeiro de 2018

O PERFUME




Seu cheiro não consegui decifrar./
Nem sentir./

O perfume da sua
Presença não ficou impregnado em mim. /

O seu olhar sim
Não saiu de dentro de mim./

Olhar de um velho caçador
que nunca perdeu um tiro ./

Olhar de quem não tem o mundo a perder./

E ninguém a ganhar./

Quero uma segunda chance./
Tira minha roupa
me dopa de prazer./

Preciso escutar seu perfume
dançando em volta de mim./

Quero ouvir sua grossa voz
- com cheiro de perfume seco -
sussurrar meu doce nome em vão./

 

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A SOMBRA

Se te interessa saber
te digo. 
Meu coração nunca 
se amansou. 

Ele bate
des-com-pas-sa-da-men-te.
Todos os dias.
Não por você
é claro.
Por mim.

Perco o ar
a força nas pernas
o raciocínio lógico
a capacidade de reagir...
cada vez que a sombra
das suas pernas descansa
nas minhas costas.

Morro de Felicidade
quando vejo seus olhos
sorrirem para os meus
sem ao menos me olhar.
Ao sentir sua boca engolir
minha alma à seco.

E transformar em apenas
um, os dois corpos já
sem vidas

  

A imagem pode conter: bebida

DONA DE BRASÍLIA




Dona de Brasília

Convidada: Elisa Mattos é jornalista há 35 anos. Filha de pioneiro, cresceu em Brasília e aqui criou raízes. Precisa pisar no mar e respirar outros ares vez ou outra. Mas sente uma alegria imensa sempre que entra no Eixão, de volta para casa.
Sim, confesso, me sinto dona de Brasília.
E tenho crachá de livre acesso por todas as suas esquinas.
Faço parte do grupo de privilegiados que viu a Capital do Futuro tomar forma e tem orgulho das histórias que ajudaram a construir.
Pai, mãe, tio, tia, vizinhos… Os pioneiros! O pessoal da minha geração, e a de depois, todo mundo tem alguém próximo que veio enfrentar a crua terra seca do Cerrado para abrir os caminhos por onde hoje pisamos.
Meu pai foi um desbravador. Ainda no Rio de Janeiro, na Novacap, trabalhou na equipe de Lucio Costa nos traçados de Brasília. Seu Flávio era desenhista de edificações – debruçado na prancheta, munido de lapiseira de ponta fina, régua T e a inseparável borracha verde, fazia erguer no papel as obras que virariam concreto. 
Trouxe a mulher e os cinco filhos para morarem na Vila Planalto, em 1965. Tinha vindo dois anos antes, morava na pensão da Parapapaco, na W3 Sul. Nunca esquecemos o sonoro nome que meu pai escolheu para a dona da pensão. Talvez porque ela falava feito um papagaio?
Minha mãe, enfermeira, foi trabalhar no Hospital Distrital. Eu e meus irmãos crescemos brincando na rua e estudando em escolas públicas. Programa de domingo: dar voltas de carro pela cidade; rodopiar entre as tesourinhas; olhar as vitrines da Galeria do Hotel Nacional; comprar lanche na padaria mais chique da cidade, a Santa Clara!
Minha juventude foi toda na Asa Sul e, claro, frequentei todos os espaços culturais, boêmios e transgressores do Plano. Com moderação, é claro, porque nunca fui uma garota rebelde, mas amava estar entre os rebeldes.
Primeiro Cine Karin, lanchonete Chaplin, Pamonhão Kalu, Teatro da Escola Parque, Cultura Inglesa…. Concerto Cabeças na 311 Sul, Cine Brasília, Beirute, Beirute, Beirute, Bom Demais, Cafofo, festas no Lago Norte, festinhas no CO, na Arquitetura, na Comunicação, nas 400…
Endereços e lembranças que hoje em dia já são quase como um retrato na parede, papo de saudosistas. Mas que guardo como pedras preciosas, são fragmentos da minha vida!
Ainda moro aqui, tive meus amores aqui, minhas filhas nasceram em Brasília, estou ficando velha aqui!! Motivos não me faltam para brigar com unhas e dentes em nome dessa cidade, que já se mostra tão tacanha. Por vezes, me sinto fraca para continuar na luta. Muitos já desistiram, foram embora, voltaram para o mar…
Quando vejo minhas calçadas destruídas, ouço os gritos histéricos dos infelizes, esbarro em aventureiros que vieram caçar moedas de ouro… Também penso em arrumar minha mochila e pegar a estrada para o litoral. Mas é uma vontade que logo passa, tenho em mim a impossível missão de não deixar o avião perder o rumo. Afinal, o nosso céu não é o nosso mar?
E por que estou contando tudo isso?
Porque hoje vivo rodeada de pessoas que já não fazem parte desse roteiro. E jamais farão. Que ouvem minhas memórias como se eu tivesse aberto um livro mofado. Que só conhecem uma W3 decadente, que nunca se sentaram no pilotis do bloco à noite para ouvir música com os amigos, muito menos experimentaram a emoção de plantar bananeira numa pilastra. Que tratam a Vila Planalto como invasão, duvidam que o Hospital de Base um dia se chamou Distrital, o público melhor do Brasil. Beirute é bar de velho, “pastel com caldo de cana na Rodoviária? Feirinha da Torre aos sábados? Jantar no Roma? tá louca??”.
Meu Deus, como o meu passado é cafona!
Devo acreditar nisso? Claro que não. Meu passado é especial e o melhor que eu poderia ter.
A falta de interesse dos que chegaram muito depois de mim – vindos de estados ou até mesmo nascidos aqui – pela minha Brasília profunda por vezes me irrita ou me entristece. Mas a Brasília deles é outra, ainda está em construção, não posso interferir ou corrigir as frases da história pessoal de ninguém.
Posso, sim, é não permitir que a minha seja apagada por eles. Nem a minha nem a nossa. A história de Brasília pertence a uma multidão de sonhadores que deu a vida, trouxe vida, água, energia, sementes, cores, espaços, cantos, recantos, arte, mistérios… Os muitos mistérios que cercam o quadrado mais iluminado do planeta ✨☀️🌎.

Texto publicado no site OLHAR BRASÍLIA em 19/09/2017

DEPOIS DO CAFÉ

A imagem pode conter: árvore, planta, céu, atividades ao ar livre e natureza

🌿🌺🍃
Fica muito mais fácil respirar quando o verde e o vermelho voltam a tomar conta do meu caminho!
Minhas férias foram especiais demais: em menos de um mês, viajei por três estados, cruzei céus, mares, montanhas, trânsito caótico, estradas de terra... entre a metrópole e a cidadezinha singela.
Vi muitos peixes, vacas, búfalos, cavalos, galinhas, cachorros, pássaros... bichos soltos ao meu redor!Conheci pessoas que falam línguas diferentes e lembrei
que o mundo gira por outras esferas também 🌎
Revi amigos que moram no meu coração e trouxe outros pra mais perto.❤️
Reabri as portas da minha casa e as deixei abertas para novas entradas, mais saídas e muitas voltas!
Amanhã retorno ao trabalho um tanto a mesma Elisa, um tanto outra Elisa, muito diferente 💪🏿👊🏾😘

sexta-feira, 30 de junho de 2017

MEU TEMPO

Eu quero seguir em
frente, juro.
E porque não vou?
Porque não vou?
Porque o caminho
é fácil demais.
Preciso de estradas
tortuosas para me
sentir forte.
Preciso saltar rios
espinhosos para
me sentir viva.
Preciso me arrastar
por túneis enlameados
para conseguir respirar.
Seguir em frente não
Traz alegria alguma.
Não transforma a
angústia em prazer.
É trazer o previsível
Para perto demais.
Não conte comigo.
Não vou para onde
a sorte me espera.
Não saio do lugar.
Minha solidão é firme aqui,
debaixo dessa sombra seca.
Deixo o vento rasgar
meu rosto e criar marcas
tão profundas, que nem
o tempo poderá apagar.https://www.facebook.com/images/emoji.php/v9/ff4/1/16/2728.png
https://www.facebook.com/images/emoji.php/v9/ff4/1/16/2728.png

sexta-feira, 23 de junho de 2017

O tal do Politicamente Correto...



  • Tem uma frase que tá na moda, dita até por pessoas bacanas, amigos queridos, mas que me incomoda um tanto e vou falar: É a tal do "o mundo tá ficando chato demais", por conta das restrições impostas pelo tal "politicamente correto". Que, na verdade, é apenas a imposição ao respeito às diferenças.
    Chato isso, né, de não poder fazer piada em público contra pobre, preto, gay, gordo, baixinho, careca, desdentado... e tantas outras referências às pessoas tidas como bizarras e que são obrigadas todos os dias a aceitarem as piadinhas grosseiras sobre a sua condição ou aparência.
    Na verdade, muitas vezes, são brincadeiras carregadas de preconceito, ódio, intolerância... e que declaradas repetidamente ajudam a perpetuar o que deve ser eliminado forever!!
    Um exemplo são as críticas contra a decisão de alguns blocos de carnaval de não tocarem certas marchinhas, repetidas há décadas nos carnavais.   
    Ah, qual o problema de cantar " o teu cabelo não nega mulata... mas como a cor não pega, mulata eu quero seu amor"?? O problema é que, mais racista, impossível !! Fora que, o termo “mulata”, para quem não sabe, era como a escrava negra era chamada pelos "seus donos", numa referência à mula, a fêmea do cavalo, aquela fácil de montar.
    E tem outras músicas famosas na mesma linha:

    "nega do cabelo duro, qual é o pente que te penteia?" 
    Ou                                                                                         "ô mulata assanhada passa com graça, fazendo pirraça ... ai, meu Deus, que bom seria Eu pegava a escurinha e prendia no meu coração e depois a pretoria, é quem resolvia a questão."

    São tantos os exemplos na linha inocente e divertida de exaltações ao racismo, ódio e preconceito. Vamos ficar esperto, gente!! Desdenhar o "politicamente correto”, na minha opinião, está indo no mesmo caminho das figurinhas fascistas que desprezam "o tal direitos humanos"!
    Sei que tem gente aqui que vai comentar: 
    - Nossa, como Elisa tá chata, nada a ver !!
    É? Paciência. Como diria minha velha mãe cansada de guerra: - quem fala o que quer, ouve o que não quer.
    PELO POLITICAMENTE CORRETO SIM!!!
    o       


COVARDIA


                                                      Querer, eu quero
Muito!
 Cadê coragem?
  Seu olhar me faz promessas.
                                                                                                                                                                                 Acredito.
Lanço outro de volta.
palavras ridículas.
Não sei para que lado olhar.
Não sei falar outras línguas.
Me dá uma tremedeira
por dentro!

A distância é um alento
para o meu corpo
um alívio para o meu
coração encabulado.
Quero que você fique
bem distante de mim.

 Só assim, posso alimentar
meu desejo de te querer
cada vez mais perto
de mim.








LIBERDADE



Faça de mim sua sombra mais escura.
Deixa o que sobrou de mim ali,
largado no chão, restos de mim
para quem quiser pisar. 

Não sou luz...paz...amor...nada!
Sou treva...o fim do túnel...
o início do caos...o mergulho no
infinito.
Chego onde a vista jamais alcançou.

Sou a raiz que chegou do outro
lado da terra!
Sou fortaleza. Quem se atreve
a me tirar a voz? Sou guerra.
Meu coração foi remendado mil vezes.

Estou sóbria, tranquila, deitada
em lençóis limpos, cheiro de rosas
no ar, latidos de cão ao meu redor.
A liberdade que sempre busquei
e que nunca soube traduzir o seu nome.🦋🍃

foto: Elisa Mattos, Harlem NYC 2016

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

LARANJA : MOMENTO...

LARANJA : MOMENTO...: ♪♫se eu soubesse naquele dia  o que sei agora,  eu não seria esse ser que chora,  eu não teria perdidooo vooocê ♫♪ No fogão, ...

MOMENTO...


♪♫se eu soubesse naquele dia o que sei agora, 

eu não seria esse ser que chora, 

eu não teria perdidooo vooocê ♫♪






No fogão, a panela cozinha os legumes.

Na cozinha, sentada sozinha, espero a sopa
ficar pronta.
Tomo um vinho velho
na xícara de café.
As luzes do resto da casa estão apagadas.
Penso em voltar a fumar
só para combinar com o cenário.
Se estou triste? de jeito nenhum.
Estou só esperando a sopa ficar pronta.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

O BEIJO💋


O BEIJO

Lá fora a lua 
tá quase cheia?
Então me lembra 
d'eu não sair de casa.
Pra nada! Nada!

Não me interessa 
noites românticas 
Palavras doces
Mãos espalmadas.
Te quero bem longe
das minhas lembranças.

Quero que a lua
se exploda
Quero que as estrelas
se enrosquem em
suas garras.
Quero que a noite
morra engasgada
no seu breu.

Nada me tira 
da escuridão 
que me devora.
Te devolvo o beijo
com gosto de manga.

Quero o beijo com 
gosto de lágrima.
É mais gostoso.
o sal arde os lábios 
arranha a língua 
penetra no coração ❤️

sábado, 9 de julho de 2016

🍂SEGUNDA PELE🍁🍂


    SEGUNDA PELE🍁🍂
É uma outra pele
que nasceu por
cima da minha pele.
Não desgruda.
Nunca.

Não consigo arrancá-la
nem quando estou
com as unhas
afiadas como lâminas.

Não solta, não solta.
Passo dias, noites,
dias... esfregando
com a mais ásperas
das buchas
e com lágrimas
arranhando
meus olhos.

A segunda pele é
a pior das chagas:
passa a vida
se refazendo...
se recriando...
renascendo...

Me matando🌻.

domingo, 29 de maio de 2016

CASCALHOS


Museu da República DF

⚡️
Corro para casa toda
Vez que a tempestade 
Se aproxima.
Quero ver da janela
Os raios cruzarem o céu .

Raio de vida.

Que céus me oferece?
Já cansei de sorver o
Mesmo café amargo,
Todo santo dia.

Me aponta o rumo do

Velho caminho de
Cascalhos. 
Gosto de comer poeira
De sentir os olhos
Arranhados pelo pó.

Gosto de sentar 

Na lama da chuva.
Deixar meus pés 
Afundarem no 
barro mole
Sujar os cantos 
das unhas.

Mergulhar no abismo 

sem volta
Ressurgir das cinzas mornas
Mostrar meus dentes 
de tubarão vingativo.

É a minha doce vida,

Que renasce todo 
santo dia. 

POR AI...




Olhos nos olhos
Mãos nas mãos 
Pés nos pés 
Não passa
Nunca passou
Nem na morte.

Saiu por ai
Catando pedras
Comendo raízes 
Colhendo sementes
Cortando o vento.
Em três
Em trinta
Em troços.
Saiu por ai 


Cruzando as pernas 
Curtindo beijos
Cambaleando
Cansada
Cansada
Cansada 
de tanto 
querer.🌺

ÓDIO


Eu devia era abrir
Seu peito com um facão
Arrancar seu coração e
Jogar no lixo para os
Ratos comerem. 

Eu devia era rasgar

Suas roupas todinhas
E tocar fogo para
Te obrigar a andar
Nu pelas ruas
Que te criou.

Eu devia era jogar

Água fervente em
Seus pés para que
Nunca mais você
Desse um passo adiante.

Eu devia era salgar

Seu corpo inteirinho
Até abrir mil feridas
Que jamais serão 
Cicatrizadas.

Eu devia era parar

De sonhar com 
Você todas as noites
para deixar sua alma 
Ir embora em paz👠

domingo, 10 de abril de 2016

ANOITECER...


Grumari abril/16

Porque você fez isso comigo?

Eu tinha todo esse céu escuro 
Para te dar
Todos os dias...
Era para eu ver o dia sumir
Segurando na sua mão .
Era para eu rezar com
Um sorriso imenso
Porque você acredita 
No invisível com fervor .
Eu deixo de pensar no
Inimigo que me assusta
Quando você respira
Ao meu lado.
Do alto, a vida é tão frágil 
E a voz, a voz, a voz
Que me diz que nada 
Tem volta
Nada, nada, nada.
Meu coração agora vai pousar
Na terra que nos enterrou
Vou seguir o caminho
Que sei de cor
Porque o seu nome, já esqueci.

sábado, 5 de março de 2016

domingo, 21 de fevereiro de 2016

CALOR🔥





Quero um vestido bem frescoPara aguentar o calorQue me consome por dentro. Eu conheço todas asSuas mentiras, palavra por palavra, o som da tua respiração te entrega.E meu arde de ódio!Um ódio tão grande queMe cala a boca.Que te manda calar a boca Que gruda minha boca na tua boca! Que calor é esse que me consome a alma?

Quero correr, correr muito, enfrentar o contravento, ser levada pelo furacão Chegar no fundo do poço, ficar lá, sentada de pernas cruzadas, olhos fechados, olhar para o infinito, esperando a hora desse calor escaldante passar.☀️


sábado, 2 de janeiro de 2016

FELIZ 2016



  2015 acaba em poucas horas e, pessoalmente, não foi um ano ruim, ao contrário, vivi momentos   bens especiais. Fiz boas viagens, estive perto de amigos queridos e da família amada, saúde em   dia, o trabalho que me sustenta... Então, que entre o 2016, cheio de esplendor! 

  Hoje não vou jogar flores no mar, ele está tão longe! E nem vou fingir que o lago é de    água salgada para fazer a oferenda: ele está quieto demais! Eu gosto de ver as ondas  batendo nas pedras, de ouvir o som manso das águas se acomodando na areia, de  renascer sentindo o cheiro da maresia! 

  As cartas e búzios indicam mudanças e esperanças, como sempre. O movimento, as    nossas ondas internas, é que dependem de cada um, do seu próprio encontro. Foco!!
 Então, vamos lá parar de buscar a desesperança; de deixar a vida estática; de proferir  palavras tolas e que ferem; provocar mortes; não ser um coitado e nem aceitar  provocações. E reagir, sempre, sempre que puxarem seus cabelos ou a sua alma!
  
E eu vou sim jogar flores no mar hoje... amanhã... todos os dias ... porque as flores 
e o mar estão  sempre comigo.
🌊💐🌹🌻
                     DESEJO A TODOS OS MEUS AMIGOS QUERIDOS UM BELO E FELIZ 2016 
Rio de Janeiro dez 2012




FACES e PERÓLAS

Somos faces
Somos fases
Somos detalhes
que somam o todo
🌟
Brilhos que voam
Brilhos que ecoam
Brilhos que voltam
Brilhos que somos
que somamos 
que somem

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PROMESSAS


Não faças minhas as tuas palavras.
jamais disse que você estava certo.
Rodopiar em minha volta me deixa tonta...
Você não tem palavra.
Como posso repetir alguma das bobagens
que você inventa pra mim?
Nada do que você diz tem sentido!

Se lembra que você me prometeu a primeira estrela
que brilhasse no céu na noite do nosso noivado?
Nunca recebi.
E o cavalo branco alado que eu ganharia de
aniversário para cavalgar naquela praia de
areia dourada? Não veio.
O anel de diamante verde que enfeitaria
minha mão esquerda também não
apareceu na manhã azul que eu te disse sim.
Some daqui!
Não quero ouvir mais nada que saia da tua boca.
A única palavra que eu desejava guardar no coração,
você engoliu

PRIMAVERA EM MIM ♪




♫♪ Essa música me lembra um tempo tão remoto... mas tão vivo ainda. 
Eu, adolescente, morava na 112 sul, pegava um ônibus na W3 até a rodoviária, 
aos domingos de manhã, para assistir o Concerto para a Juventude, 
na sala Martins Pena do Teatro Nacional. Esse monumento mesmo que hoje 
está agonizando, cercado de lixo, baratas e ratos. Uma violência à minha memória afetiva,
sinto muita raiva. 
Voltando. Além do encanto pelo passeio, pela música e pelo prédio , eu era encantada 
também por  o músico da orquestra que tocava contrabaixo - aquele violino gigante.
Era um moço magrelo, de cabelos lisos e grandes jogados nos olhos, um rapaz esquisito. 
Era encantador. Eu ficava esperava o concerto acabar, ia para a porta de saída dos músicos,
só pra vê-lo passar, abraçado à sua paixão,  e dar um tímido oi para o meu príncipe. 
Hoje, não consigo lembrar o nome dele mas graças a ele, a Primavera nunca mais saiu de mim ♀♪♫

A AMANTE - um conto a conta-gotas 🌹




A AMANTE - Marta
1° capítulo

Me chamam de Marta. Meu sobrenome? não sei. Minha idade? ficou na esquina.
Não, não me chamo Marta, tenho certeza. Meu nome verdadeiro? não lembro.
E preciso ter um nome para falar de mim. Então... sou sim, Marta..

Me lembro da quantidade de vezes que fui vigiar os passos do meu amor. Eu ficava 
toda noite na esquina escura, escondida, só para ver ele chegar na casa que vivia 
com a mulher dele. Eu era a outra. E era louca por ele!
Poucos segundos. Era o tempo que eu conseguia vê-lo, na penumbra, 
saindo do carro e entrando no em casar. Meu coração disparava, temendo ser
descoberta. Ia embora Saltitando de felicidade. Eu era doida por aquele homem
Feliz, feliz  mesmo eu era nas poucas horas que passávamos juntos nas tardes 
de sábado. Ou nas noites de quarta-feira. Nessas poucas horas, ele era meu, 
inteiramente meu, soberanamente meu. Eu o virava do avesso, Dominava seu corpo,
arrancava seu coração, espremia sua alma até a última gota.
Ele era meu refém. Prisioneiro da minha paixão, o rato viciado na minha armadilha.
Ele sempre ia embora mas sempre voltava. Eu é que não podia sumir, sair da vida dele.
Como ele iria sobreviver sem o meu profundo amor por perto? perderia o chão,
a razão de Existir.
Meu nome é Marta. É como me chamam. Não tenho endereço fixo. Passo as noites escondida
na esquina onde mora o meu amor, esperando os segundos preciosos, que preenchem minha 
alma de felicidade, que é quando meu homem desce do carro e entra na casa que vive com 
a esposa, filhos e o gato Jeremias.
De dia, eu cuido de mim. Caminho muitas horas para manter a boa forma. Lavo os cabelos, 
pinto as unhas, passo batom vermelho, espalho meus vestidos finos e as sandálias altas
pelo show, para escolher com calma, o modelo mais bonito para impressionar o meu
Amor. Nas tardes de sábado ou Nas noites de quarta-feira.
💃🏽🌹💋
(....continua.....)

A AMANTE 💋
2o. capítulo

🌹
Marta saia todas as tardes para comprar flores💐🌷🌺
Ela queria a sala perfumada quando seu amor chegasse.🌹 E há quinze anos esperava.
Mesa posta, café fresco na garrafa azul, bolo quente de milho com côco, o preferido dele.
O que ela fazia, ele nunca comeu. Marta sabia de tudo que seu amado gostava. Tinha 

orgulho de saber todos os seus segredos. E ela era a maior dos segredos dele:
que mais poderia querer da vida?
"Alguma coisa grave aconteceu que impediu minha paixão de lanchar comigo", ela se conformava.
Sentava-se à mesa forrada com a velha toalha branca bordada pela avó. Tomava uma boa xícara de café quente e saboreava um belo pedaço do bolo preferido do seu amante. 
"Amanhã com certeza ele vem. Se Deus quiser!"
Antes de dormir, Marta rezava alto. Pedia a Deus que ela nunca saísse da vida aquele homem.
Que ela pudesse cuidar dele todos os dias, eternamente, com a mesma felicidade que selou 
aquele amor no primeiro encontro. "Ele não podia viver sem mim" suspirava Marta, resignada.
Hoje Marta acordou cantando ópera, aos berros, como uma diva louca no último ato.
É quarta-feira, dia sagrado, dia que nada neste mundo a impede de ser feliz.

Ao longo de duas horas ela é a rainha, a dona, a dominadora. Aquela que faz seu homem ver estrelas nas noites nubladas e mergulhar em mares infinito no deserto. Sem ela, ele não é ninguém, não cansa de repetir Marta.
De vestido vermelho combinando com o batom, sandálias douradas, cabelos soltos e nada nas mãos, lá vai Marta, desfilando leve pelo beco escuro, ao encontro da sua paixão, naquele velho hotel sem qualquer estrela
(....continua....)

A AMANTE - Duelo
🌷 3o. capítulo

💃🏽🌹 Quando ela abriu a porta, eu entendi tudo: eu sou sim a paixão da vida dele!
Aquelas rugas em volta da boca, os cabelos sebentos, unhas roídas sem esmalte, e o 
ar 

cansado de quem não dorme em lençóis de seda e acorda antes do sol raiar. Ano após ano, 
para servir o café aos filhos.
A coitada olhou para mim com olhos de serpente.Mulher entende outra mulher e ela estremeceu quando me viu.Adivinhou quem eu era, sem nunca ter ouvido falar de mim. E reagiu com bravura.
Levei logo um tapa na cara. E recebi vários socos no peito, carregados de ódio.Senti uma dor tão forte. Mas não perdir a pose, não cai, e nem fui embora. Quase a abracei.
"O que você quer, Marta?", me perguntou a esposa.
- apenas te olhar. Descobrir o por que dele sempre, sempre voltar para você. Sentir o cheiro do teu perfume. o hálito da tua boca, ouvir o tom da tua voz. Explorar as curvas do teu corpo. Decifrar sua alma.
Ficamos ali, horas e horas, uma de frente para a outra, como cúmplices. Trocando olhares mudos, procurando palavras surdas, Esperando pelo milagre capaz de destruir aquela cena patética .
Até que um furacão indiscreto passou fazendo barulho, dançou agitado ao redor de nós duas.
bagunçou nossos cabelos, embaraçou nossas saias, encharcou nossos olhos de poeira,
travou nossas bocas. O vento intruso bateu com violência a porta da casa do meu amor. A mesma violência dos homens que arrancam com os dentes o coração de suas vítimas.
E a mulher que dorme todas as noites com o homem da minha vida,  ficou lá, onde sempre esteve, na sala da casa deles. E eu? Eu fiquei solta na rua, onde sempre estive...olhando para o céu sem nuvens e cantando para lua crescente 
👠
💄💍💋

(... continua.......)

  A AMANTE - Bolero
4° capítulo
♀♪♫♀♪♫
Nem me lembro da última vez que ele me disse "eu te amo". Aliás, acho que ele nunca fez uma declaração de amor para mim. Mas quem importa?
Palavras são estrelas aos vento ... meu coração é quem sabe de mim!
Um dia, o amor da minha vida me deu um tapa no rosto só porque eu perguntei que dia ele ia me levar pra morar na beira do mar, como me prometeu tantas vezes. Eu perdoei. Ele estava cansado de ser cobrado, ficou nervoso. Eu é que devia ficar calada: afinal, meu amor planejava me fazer uma surpresa e eu estraguei tudo.!
Nossa casa na beira do mar seria pequenininha, do tamanho suficiente para acolher só nós dois. No quarto, uma cama grande, coberta com colcha florida. Janelas abertas para o sol entrar e se esparramar sobre os nossos corpos. De dia, eu cuidaria das flores do jardim, do Jeremias, das roupas do meu amado... não deixaria faltar o meu doce perfume no ar.
Quando a noite chegasse trazendo o meu homem, a porta do pequeno castelo ficaria bem trancada para isolar nós dois no nosso reino encantado. O vento cantando lá fora, as ondas do mar alvoroçadas de euforia. E antes de pegar no sonho, eu ia rezar em voz alta, um terço inteiro, para agradecer tanta felicidade.
Meu amante sumiu . Há meses não ouço o sussurrar da sua voz ao telefone, pedindo para eu me vestir como uma lady e encontrá-lo naquele bar escuro, à luz de velas, que fica numa rua sem saída, tomada pelo silêncio. Eu sempre chego primeiro, peço uma taça de vinho tinto adocicado, acendo um cigarro, peço ao velho garçom que coloque para tocar o bolero de sempre. Meu coração se enche de uma alegria apertada, chega a dá um nó na garganta....
Posso ouvir os passos dele lá fora, se aproximando.
Ele entra, toma um bom gole do conhaque mais barato, me arranca um beijo e me toma pela cintura para dançar.
Só nós no bar... a rodopiar... rodopiar.... rodopiar...
A festa dura uma eternidade, uma hora inteirinha só para mim!
E minha paixão vai embora louco de felicidade. Não sem antes me completar de beijos ardentes e berrar para quem quiser ouvir: "MARTA!!! Você é minha. Eu sou nada sem você !!!"
Eu peço outra taça de vinho doce e fico lá, degustando gole a gole, para absorver lentamente cada segundo que acabei de viver ao lado do amor da minha vida.
E a música ecoa alta na rua sem saída:
♪♫♀♪♫
Tu me acostumbraste, a todas esas cosas
y tu me enseñaste, que son maravillosas

Sutil llegaste a mi como una tentación
Llenando de inquietud mi corazón... ♪♫♀♪♫
 <3

(... continua.......)

A AMANTE - Ilusão
5o. e último capítulo

... Eu peço outra taça de vinho doce e fico lá, degustando gole a gole, para absorver lentamente cada segundo que acabei de viver ao lado do amor da minha vida. 🍷
E a música ecoa alta na rua sem saída:
🎵🎤  🌹Tu me acostumbraste, a todas esas cosas
y tu me enseñaste, que son maravillosas .
🎵Sutil llegaste a mi como una tentación🌹
Llenando de inquietud mi corazón...♪♫♀♪♫ 
🎶🎵💃🏽
     Deixei aquela mesa bêbada e exausta! Cruzei aquele beco me arrastando sob o sol quente, descalça, sapatos nas mãos . O vestido vermelho não resistiu à tanto desespero: ficou pelo caminho.
Marta vagou pelas ruas do centro velho durante três dias e três noites. De vez em quando se deitada embaixo de uma árvore para se refrescar. E soltava a voz:
          ♪♫♀♪♫💜
🎶🎵 tu me acostubraste a todas esas cosas, y tú me enseñaste que son maravillosas...🎵🎶💃🏽
     Uma gargalhada rouca trazia de volta o brilho estranho no olhar de Marta. Ela se perdia no tempo, admirando a pedra vermelha do anel esquecido na mão esquerda, que ganhou do amante no segundo encontro. Nunca mais tirou do dedo.
Quando chegou em casa, Marta foi direto para o quarto e se jogou imunda na cama desfeita desde a última vez que saiu ao encontro da sua paixão. Jeremias, o infiel companheiro que um dia abandonou o dono e a perseguiu atraído pelo perfume doce, forte, se enroscou ao lado dela. Os dois mergulharam em sono profundo por uma eternidade.
Quando despertou, Marta tentou se lembrar de mais um provável sonho besta. E como sempre, não conseguiu: os sonhos sempre escapavam das mãos dela, eram cinzas na noite.
Foi tomar um banho bem quente. Eram cinco da tarde. A água farta batia em seu corpo com leveza, como que lavasse a alma dela com carinho. Sentada no chão molhado, a louca se permitia sonhar acordada. O corpo de Marta estava todo arranhado, as unhas quebradas, 
os pés em carne viva, alguns dentes haviam sumido da boca.
Os brincos de pérolas amareladas,  sim, permaneciam fixos nas orelhas: as mais belas jóias que sempre enfeitaram a mulher mais linda do espelho.
A faca que usou naquela noite para golpear as costas do seu amado, ela jogou na pia, ficou misturada ao resto da louça suja que nunca seria lavada.

♪♫♀♪♫🎵
🎶🎵...sutil llegaste a mí como una tentación 
llenando de ansiedad mi corazón
♪♫♀♪♫🎵🎵



📿Às seis da tarde, Marta rezou. Depois colocou o vestido de seda amarelo e alças finas, passou batom rosa, calçou chinelinhos de pedras brilhosas, soltou os cabelos e saiu faceira para comprar flores do campo para enfeitar a mesa do jantar. Como fazia todo

santo dia, há quinze anos, desde que seus olhos cruzaram com os olhos daquele homem lindo pela primeira vez. Trocaram apenas um sorriso. Nunca mais o viu. Nunca soube o nome dele.E o que importa? O nome dela também não era Marta . ❤❤❤
💐
Orgânico
291
Pagos
2.580